Moda em tempos de escassez: (PARTE I) como o DIY e o Upcycling se tornaram soluções diante aos recessos causados pelas crises

Alguma vez você já parou para refletir no papel da moda em períodos de crise, como guerras e recessos econômicos?

É possível que, em um primeiro momento, pensar em moda em contextos nos quais sofrimentos sociais estão demasiadamente expostos, possa parecer frieza ou até mesmo futilidade. Contudo, este olhar cabe apenas se tratarmos a moda de forma superficial, sem lembrarmos que ela está presente no dia a dia de toda a humanidade e na maior parte dos períodos históricos, refletindo comportamentos, contextos culturais, sociais, econômicos e traduzindo o chamado “Zeitgeist” (ou o “Espírito do tempo”).

Dessa forma, podemos compreender que o vestuário de determinada época está intimamente ligado aos acontecimentos externos, sejam eles de fartura ou escassez. Para entendermos isso como verdade, basta observarmos períodos como a Grande Depressão (Crise de 1929) ou a Segunda Guerra Mundial – acontecimentos que influenciaram diretamente na moda da época.

Mas o que podemos aprender com tais situações? Considerando os rumos tomados no mundo neste ano em específico (2020), é imprescindível e muito válido que façamos o exercício de olhar para trás, e assim percebermos como homens e mulheres conseguiram contornar a escassez de forma criativa e consciente.

Vamos lá?

 

A Crise de 1929 e a prática do Upcycling

Também chamada de Grande Depressão, a Crise de 1929 foi uma grande quebra na economia do Estados Unidos que acabou por atingir praticamente o mundo inteiro. Apenas para contextualizar, é interessante lembrar que este período foi posterior a um momento de altas produções e incentivo ao consumismo através da invenção do crédito.

Com isso, inúmeras famílias acabaram por endividar-se, precisando encerrar o consumo, já que não possuíam mais recursos para continuarem comprando. Além disso, a Europa já não precisava importar dos EUA; ainda assim, a produção americana não cessou. Consequentemente, houve excesso de oferta e escassez de demanda.

No dia 24 de outubro de 1929 houve uma queda drástica na bolsa de valores de NY, o que fez muitas empresas falirem e milhares de pessoas perderem seus empregos. A partir de então, a fome e a miséria atingiu não apenas os Estados Unidos, mas inúmeros países que, de alguma forma, dependiam economicamente dele.

crise1929

PIN IT Fila de desempregados durante a Crise de 1929 em frente a uma propaganda do American Way of Life: “O melhor padrão de vida do mundo. Não há jeito melhor que o jeito americano” (Margaret Bourke-White/Wikimedia Commons)

PIN IT
Mas o que a moda tem  ver com isso?

Minha resposta para tal pergunta é: praticamente tudo! Em primeiro lugar, se pensarmos em moda como comportamento, a questão do consumismo desenfreado estar em voga já englobaria a moda. Entretanto, se tratando de roupas mais especificamente, é super interessante percebermos as iniciativas da época – acreditem ou não, muitas mulheres passaram a criar e costurar suas peças a partir de sacos de farinha!

Sabe aquela expressão “feito com saco de batatas”? Vem exatamente daí!

Pois bem deixe-me lhe explicar melhor.

Naquele período a escassez era tanta, que a prioridade era conseguir fazer pelo menos uma refeição ao dia. Imagine se alguém teria recursos para investir em roupas e tecidos?!

Sendo assim, as mulheres começaram a perceber a possibilidade de criarem roupas a partir das embalagens das farinhas que utilizavam para cozinhar os alimentos básicos (elas eram feitas de algodão).

Então, esvaziaram os sacos e começaram a costurar roupas para si, para seus filhos e maridos. Vemos aí uma grande representação do reaproveitamento provindo do Upcycling, não é mesmo?

Quando os fabricantes de farinha e rações para animais ficaram sabendo de tal fato, decidiram colaborar criando embalagens com tecidos estampados. Afinal, dessa forma as roupas ficariam muito mais charmosas e interessantes!

PIN IT

PIN IT Dado o quão difundido isso se tornou, as publicações nacionais começaram a imprimir instruções sobre como produzir diferentes itens a partir das embalagens.
(Fonte: https://archiveproject.com/the-amazing-history-of-flour-sack-dresses-10-photos)

PIN IT

 

Uma estimativa interessante é que, durante a Grande Depressão, diz-se que em torno de 3,5 milhões de mulheres e crianças usaram roupas e itens feitos de sacos de farinha. Muita coisa não é?

PIN IT

Dessa forma, aprendemos que apesar dos tempos difíceis, usar a criatividade com os recursos que temos em mãos e evitar o desperdício é sempre uma alternativa!

 

Curiosidade: Marilyn Moroe, Dolce & Gabbana e vestido de juta

Um fato curioso é que, em 1952, anos após a crise ter sido superada, a atriz, modelo e cantora Marilyn Monroe fez um ensaio fotográfico usando um vestido de juta (o famoso saco de batata). Conta-se que as fotografias foram feitas devido às críticas recebidas por Monroe de um colunista da época, o qual criticou um dos seus vestidos afirmando que ela ficaria melhor em um saco de batatas.

Sendo assim, o ensaio foi idealizado para capitalizar a história e provar que a diva ficaria sensual até mesmo em um vestido de juta.

PIN IT

Em 2013, a grife Dolce & Gabbana desfilou sua coleção Primavera/Verão inspirada nas fotografias de Marylin.

 

PIN IT

Até aqui, vemos como recursos simples podem se transformar em grandes ideias através de mãos criativas, ainda que em tempos de escassez. No próximo post veremos como um conceito super parecido foi aderido durante a Segunda Guerra Mundial!

Enquanto isso, aproveite e me acompanhe através do Instagram @dressmekindly para prosseguir com essa conversa (neste mês estou abordando o tema Moda e Recessão). Te espero lá!

Bisous,

Gaby


Referências:

Stylo Urbano | Durante a década de 1930, a moda era vestir-se com sacos de farinha estampados

Archive Project | The Amazing History of Flour Sack Dresses

Comment

Leave a Reply

Previous Post
Costura e Revolução: como os moldes revolucionaram o acesso à moda e contribuíram para a independência feminina ao redor do mundo
Read More
Next Post
Moda em tempos de escassez: (PARTE II) como o DIY e o Upcycling se tornaram soluções diante aos recessos causados pelas crises
Read More
SELECIONE SUA MOEDA
R$Real brasileiro
Euro
×

Oie!

Clique para falar com a Gaby ou envie um e-mail para  gabriellavieira@dressmekindly.com

 

×